terça-feira, 7 de janeiro de 2014

3º DIA ESTRADA REAL - CONCEIÇÃO DO MATO DENTRO A ITAMBÉ DO MATO DENTRO 03/01/14

 Conforme comentei no post anterior eu tive dificuldades para me hospedar. Depois que encontrei um lugar de baixa qualidade pelo preço que cobraram fui dormir, ou melhor, tentar. Durante a noite foi uma falação pelos corredores, parecia que tinha pessoas chegando ao hotel  e o responsável falava o tempo todo que o café era a parti das 7 da manha e que tinha lugar para guardar carro e bla bla bla. Estava doido para a noite passar logo e sair da cidade. Tão logo amanheceu, tomei o café, raptei umas maças e segui meu caminho. O primeiro destino era Morro do Pilar. O caminho me surpreendeu, com muita sombra foi ótimo pedalar por este caminho. Também não tinha nenhuma subida que exigisse muito. Como estava tudo indo tão bem, comecei a pensar: Morro do Pilar...morro, e isso não seria muito bom. Porem dei sorte nada de subida forte e logo ja estava lá, bem na hora do almoço. Me juntei aos funcionários da empresa do mineroduto que esperavam o restaurante abrir. eram 11 da manha. Almocei uma boa comida e fiquei ali descansando. Até que comecei a conversar com um funcionário das empresas que estão explorando os minérios do lugar. Para minha surpresa ele não gosta de trabalhar naquela situação, que a forma que estão explorando vai dar problema futuramente e ninguem quer ver isso hoje, porem trabalha porque precisa infelizmente. Comentei sobre alguns problemas que vi pelo caminho e ele me disse que o que vi não é nada. Enquanto algumas empresas exploram já uma região, ja tem outras preparando para novas explorações. 
Como a hora estava já passando, resolvi me despedir e seguir meu caminho. E que sol.  Quando comentei que no dia anterior o sol me castigou, eu estava brincando perto do que passei hoje. De Morro do Pilar a Itambé são 35 km, com quase nenhuma sombra e uma serra não tao inclinada mas longa. Além do sol, outro fator me castigou bastante. Em alguns trechos a tal mineradora colocou pedras/escorias nas subidas e descidas e para quem sabe, pedalar com peso morro acima fica bem dificil com tais condições. Então imagina só, subir debaixo do sol em um terreno cheio de pedras carregando peso, foi duro!!!! Quando vinha a descida era hora de relaxar? Não! Como nas descidas também tinha pedras era preciso descer com muito cuidado para não cair, furar pneu. Parte bem dificil esta. Fui seguindo meu caminho. Já não estava mais em busca de diamantes e sim de sombras. As poucas sombras que eu via pelo caminho era ponto de parada. Passava minutos debaixo da sombra amenizando o calor e para passar o tempo me comunicando com os amigos pelo facebook. Vê se pode, no meio do nada com internet rsrsrssss. E devagar eu ia indo, subindo, subindo, parando nas sombras, subindo mais um pouco, até que eu cheguei no alto onde tem duas enormes pedras nas margens da estrada. Bem bonitas, podia até ter apreciado mais a beleza do lugar, mas tive um probleminha critico. Minha água acabou. Consumi desde a ultima parada quase 3 litros de água e nada de local para abastecer pelo caminho. Ficar com sede é triste e mexe com a cabeça, você enfraquece rápido. Para minha sorte faltava uns 7 km e a maior parte descida. Controlei a sede tentando não pensar muito e segui até Itambé. Resolvi abortar Ipoema, o dia foi muito desgastante. Me hospedei na pousada Estrela onde tive a sorte de comer uma boa janta sem precisar sair do hotel. Até então este dia foi o mais difícil para mim, praticamente derreti e até agora estou com uma media de ingestão de líquidos de 10 litros por dia, sempre me hidratando para conseguir superar as diversidades. Continua...

 Mata burros, mata ciclistas e mata motociclistas.




 Morro do Pilar.

 Temperatura: 44,8º.
 E o céu azul!
 Uma das tantas paradas nas sombras.
 Pedras que dificultaram o meu caminho;


 Outra paradinha na sombra.



















 As duas pedras.


 Enfim, Itambé.




Hora de descansar.

4 comentários:

Penélope Lúcia disse...

Belas fotos com uma excelente descrição.
Wiliam, cada sombra que vc encontrava era um diamante conquistado, pode ter certeza.
Continue nos deliciando com sua cicloviagem.
Parabéns!

rodrigo schats disse...

vc ta viajando sozinho? parabens.

rodrigo schats disse...

vc ta viajando sozinho? parabens, entrei agora no mundo MTB, to gostando bastante.

Giovane disse...

O pedal tá show, relato e fotos, não tem como não gostar... ainda mais vendo o link do Garmin, 4 dias e mais de 7500 metros de subida.... Socorro, heheheh, parabéns e continue no giro.... um abraço,