quarta-feira, 26 de outubro de 2011

X TERRA OU X LAMA

 Mais uma vez em Minas Gerais prestigiamos uma competição que aconteceu na charmosa cidade de Tiradentes que faz parte da Estrada Real. Dessa vez fomos na sexta para aproveitar bem o lugar e não fazer nada correndo. Na sexta mesmo já tratamos de pegar nossos numerais e kits e aproveitamos para participar do simpósio técnico que aconteceu para os atletas do MTB e do Duathlon e em seguida fomos para um delicioso jantar de massas oferecido pela organização do evento. No sábado pela manha acompanhamos a prova do duathlon e em seguida fomos encontrar com a galera que veio pela manha de Volta Redonda. Porem a partir dai começou a chuva, fina e constante. Esta não estava nos planos de ninguém, os amigos que vieram para curtir a cidade acabaram não aproveitando. Já eu, tanto faz uma chuvinha não faria mal e sim apenas uma laminha. Só que antes da prova de MTB eu e Vivian participaríamos da prova do night run com 7 km de percurso. Era chegado a hora da largada e a chuvinha continuava a cair sem tregua, a noite já tomava conta e um montão de lanternas estavam acesas para enfim se dada a largada. Saímos pelas ruas de pedras molhadas em direção as trilhas da região. A cidade foi sumindo e eu e Vivian seguindo caminho pela escuridão. Começamos a entrar pelo trecho de lama que estava bem escorregadio. Muitas pessoas cairam neste local devido a dificuldade. Fui ajudando a Vivian nos piores lugares. Atravessamos um riacho e a chuvinha sempre nos acompanhando. Toda a parte mais complicada do percurso foi ficando para trás e de novo estávamos entrando na cidade. Já era possível ouvir o som do vilage XTERRA, então puxei a Vivian para corremos e  terminarmos a prova. Como não estávamos treinados para esta prova nossa meta era fazer em 1 h e 15 minutos e foi o que aconteceu. Foi uma prova bem legal e divertida onde a Vivian esta de parabéns por participar e concluir a prova, quem sabe ano que vem não corremos de novo. Era hora de ir embora para o hotel e comer alguma coisa, pois no outro dia o bicho ia pegar de verdade.
A chuva caiu mansa durante toda noite e amanheceu ali firme e forte. Acordei tomei um café e fui até o hotel do Bruno para de lá irmos para a largada. Na concentração encontrei com amigos de Barra Mansa e de Juiz de Fora. As bikes estavam um brinco, limpinhas e lubrificadas. Eu e Bruno tratamos de alinhar para a largada que seria neutralizada por 8 km até o marco zero da Estrada Real. De lá sim seria dada a largada oficial e voltaríamos pelo mesmo caminho passando pelo vilage X TERRA. Giro alto e numa media boa passamos pelo centro da cidade e logo nos dirigimos para as trilhas. Logo de cara a trilha já estava travada, muitos bikers para pouco espaço. Um single track inclinado com muita lama, um verdadeiro sabão, era hora do empurram bike. Mas nessas horas acabamos fazendo amigos, ouvindo piadas enfim descontraindo e curtindo um verdadeiro mountain bike. Durante toda a primeira subida de trilha tinha que parar e descer para transpor raízes, pedras e barrancos. A chuva que caiu tinha castigado muito o caminho, porem não tínhamos noção do que vinha pela frente, o que teríamos que enfrentar. Terminado a subida uma descida nos esperava, num trecho com grama e mato largamos as bikes e deixamos descer, porem com cuidado para não cair e estragar a corrida. Como alguns bikers já tinham passado pela trilha o barro virou um mingau, o negocio era segurar firme e entrar com tudo na lama. O barro deu uma trégua na subida de pedras o que ajudou bastante, mas só conseguia subir ali que vinha com vontade na marcha certa e no giro constante. E da-lhe subidas e mais subidas. Foi assim ate a encosta da serra de São José. Mais uma vez era hora de deixar descer e ai começou o terror e a diversão, por uma trilha o que se via era só barro e bikers empurrando. Como era uma descida segui me equilibrando na bike e segurando para não cair. Não tinha controle da roda de trás que a toda hora cismava de ir para o lado contrario da curva. Nessa hora a diversão era garantida, ate que tive que parar para aliviar a lama agarrada na suspensão, na roda traseira e regiao do movimento central com o cambio dianteiro. Muitos pararam para tentar limpar suas bikes, nessa hora não tinha facilidade para ninguém, disco, v-brake todos sofreram. Para evitar o acumulo de barro o negocio era passar rápido pelos atoleiros. Desenvolvido a técnica era hora de por em pratica, mas ai vinha o problema do sabão e da dificuldade de se manter em cima da bike. Chegando perto de onde o Guilherme se acidentou ano passado, acabei ficando com ciumes e numa descida, logo no inicio a minha bike rabichou para um lado e depois para o outro até que não consegui domina-la e acabei escorando num barranco, sorte que cair naquela lama não era tão ruim pois o barro estava macio heheeee. Levantei olhei se não perdi nada e tentei começar a pedalar porem estava impossivel a lama dominou a bike toda. Tentei carregar, mas sem chances estava muito pesada, comecei então a empurrar, melhorou nada. Estava tudo travado, aliviei o barro e comecei a descer empurrando a bike ao contrario, apenas segurando no selin, muitos outros bikers seguiram a minha ideia e fizeram o mesmo. Passado a parte critica voltei a pedalar e sempre tentando achar o melhor lugar para passar, mas estava impossível. Quando achava que o pior já tinha passado estava apenas enganado, mais lama e mais travagem da bike sofriamos. Minha corrente não conseguia sequer ver os elos, câmbios dianteiros e traseiros nem sei como estavam funcionando ainda pois apesar de toda lama funcionavam perfeitamente. Como eu já conhecia o percurso sabia que estava perto da chegada e aproveitei para curtir a prova na parte final onde consegui pedalar sem problemas. Nessas horas tudo o que vc quer é chegar e descansar e era isso que eu queria. Com um tempo de 3h:34 minutos consegui enfim completar mais uma prova. Bruno chegou 6 minutos depois de mim. Esta foi com certeza a prova mais dura que fiz na vida, foi talvez o pedal mais difícil que enfrentei, a lama estava absurda, era impossível passar em certos lugares. Muito se ouve durante estes trechos, é biker dizendo o que esta fazendo ali, que nunca mais vai voltar a andar, mas no fundo não tem jeito, estamos loucos para voltar ano que vem a fazer tudo de novo seja com pó ou lama nunca deixaremos de Mountain bikers. Quero agradecer aos apoios da equipe que estava composta pelo Guilherme e Vivian e dos amigos Jorginho e Lara que fizeram as fotos e filmagens que assim que der posto no youtube.
 Simposio tecnico.

 Vilage X TERRA Tiradentes MG.
 Wiliam e Vivian se preparando para largar no night run.






 Enfim chegando da corrida noturna.




 MTB CUP.

 Marcando a boiada.

 No inicio tudo limpinho e bonitinho.
 Jorginho e Guilherme no apoio.








 Concentração da largada.










 Ainda limpinho.

 A serra estava assim.

 Guilherme e Jorginho ajudando um biker com o pneu.
 Fim de prova para Wiliam.



 Lanchinho.


 Resultado na bike.
 Bruno completando a prova.
 Rindo para não chorar.










 Hora de enfrentar o frio para lavar as bikes.



 Nosso tempo.
Parte da equipe e amigos.

4 comentários:

Michel Schanuel Girardi disse...

Estão fazendo tratamento de pele com lama medicinal? rs Sinistro esse barro hein...

Abraço

João Afonso disse...

Já não tenho pachorra para este tipo de prova ! de qualquer maneira parabéns pelo feito. O relato e as fotos estão muito boas.
Valeu o banho de barro que para a pele é muito bom !!!
1 abraÇo.

Canelas de aço disse...

Mountain bike , chuva , lama e barro , é tudo de bom...faltou eu lá ...rss..rss...

carolzago disse...

Olá, boa tarde!
Parabéns pelo site!
Bom, meu nome é Ana Carolina e trabalho em uma Assessoria de Imprensa em São Paulo, estou atualizando meu mailing, e vi que não tenho o contato de vocês. Por favor, me mande o e-mail e telefone da pessoa que recebe releases e sugestões de pautas.
Desde já, muito obrigada!
Meu e-mail: rojas.producao@uol.com.br
Outro e-mail: carolina.anazago@gmail.com