segunda-feira, 25 de julho de 2011

CICLOTURISMO - 5º DIA AIURUOCA A ANDRELANDIA

 Como tudo que é bom dura ou passa rapido, nossa viagem já traçava rumos de retorno. Porem queriamos fazer um percurso diferente do que tinhamos vindo. A noite analisamos um pequeno mapa que arrumamos em uma pousada e nele mostravam as distancias das cidades da região. Nossa intenção seria ir até em Andrelandia. Com isso evitariamos o trecho de asfalto da rodovia que liga Juiz de Fora a Caxambu e conheceriamos novos caminhos. Pois bem no mapa dizia que a distancia até a cidade de Serranos seria em torno de 22 km e isso nos agradou e depois mais 24 km até Andrelandia. Perfeito, pedal com cerca de 50 km. Saimos cedo e começamos a pedalar pela rodovia que liga a cidade até a BR-267, cerca de 8 km. Nesta BR começou a luta com suas chatas subidas. Neste dia minhas pernas estavam meio cansadas, não sei se foi porque não dormi bem a noite ou pelo esforço que fiz para chegar na cachoeira dos Garcias. Subidas em asfalto, sol e pernas cansadas tornaram meu inicio de dia um tormento. Ficou pior quando passei por uma placa que dizia que faltava 15 km para Seritinga. Como assim? Eu já tinha rodado 16 km, pelo mapa era para faltar apenas 6 km. E foi assim subindo debaixo do sol que tivemos que rodar os 15 km que dizia a placa. Se você for para a região e pegar o mapa que esta no verso de um planfeto do site serra das aguas, não confie. As distancias estão todas erradas. No trevo para Seritinga deixamos a BR e uma placa dizia que falatava 3 km e o melhor de tudo descida!!!!!!. Em Seritinga conhecemos o centro da pequena cidade, fotografamos a antiga estação, a praça e a igreja. Não paramos muito tempo por lá pois queriamos almoçar em Serranos que ficava distante  3km. Em Serranos já buscamos imediatamente um local para almoço. Como todas as medidas no mapa estavam erradas comecei a procurar informações sobre a distancia para Andrelandia e para variar a população informava cerca de 35  a 40 km, bem diferente dos 24 previstos pelo mapa. Descançamos depois do almoço e sem demorar muito seguimos dessa vez por uma estrada de chão batido e com muita poeira para Andrelandia. Minhas pernas já estavam melhor graças ao remedio que a Laura me deu. O sol deu uma tregua e não estava tã quente quanto no inicio. Foi ai que tivemos outro problema. Por onde ir? A estrada tinha uma bifurcação sem nenhuma placa. Perdemos um bom tempo ali, ate que resolvi seguir umas delas e vê se encontrava alguma casa para pedir informação. Pedalei por mais uns 5 km até que encontrei um cavaleiro e ele disse que a estrada era a que eu estava realmente. Do alto do morro consegui avistar os amigos que vinham devagar e gritei para que todos pudessem vir pois o caminho estava certo. E começa as subidas, Nikson não aguentava mais ver tanto morro. Po querer ir em Minas e não ter morro é dificil meu amigo. E assim foi, todo carro, moto que passava pelo local pediamos informações para não haver nenhum erro. O por do sol começava a mostrar sua beleza que nesta epoca do ano fica mais aguçada. Em umas das paradas o pessoal conversou com um caminhão que estava vindo de Andrelandia para Serranos e o motorista disse que depois ia voltar e que daria carona para nós. Bom como eu estava bem eu iria completar o trecho pedalando. Porem sabendo disso e com o por do sol anunciando a noite resolvi apressar o pedal e esperar o pessoal no asfalto, já que minha lanterna estava num local de dificil ascesso e para tira-la seria preciso desmontar a bagagem. Foi então que consegui chegar antes de escurecer. Fiquei então esperando a galera aparecer de caminhão e nada. Escureceu e nada deles aparecerem. Depois de esperar bastante e começar a preocupar todos apareceram. A Gracinha estava exausta. Para acompanha-la fizemos o ultimo trecho caminhando até a cidade que já estava bem proxima. Lá em Andrelandia logo arrumamos um lugar para ficar e comer. 
Era hora de me preparar para realmente voltar para casa. No outro dia levantaria cedo e partiria sozinho para Volta Redonda, pois tinha um compromisso as 15:00 hs. Este foi mais um passeio de superação onde os kms acumulados já pesavam na galera, o sol, morros castiram bastante. Mas nada melhor que uma noite bem dormida para recuperar as energias.
Distancia percorrida: 72 km
 

 Saindo de Aiuruoca.



 Trevo da BR-267.




 Em Seritinga.






 Serranos.



 Galera descançando.



 Nikson.
 Gracinha.
 Laura.
 Lucia.



 Serranos ficando para tras.



 Só poeira.




 Andrelandia ao fundo.


 Mata burro perigoso em uma descida.

2 comentários:

Michel Schanuel Girardi disse...

Meu caro, estava um pouco afastado da net e só agora vi as atualizações do seu blog. Já li todos os relatos da cicloviagem e só me resta dar os parabéns pra toda a turma que foi! Já passei em Aiuruoca, quero voltar com mais calma pra conhecer melhor as atrações e com certeza a cachoeira dos Garcia vai ser uma delas. Também gostei mt das últimas fotos do Pôr do Sol. Um abraço

Canelas de aço disse...

Já andei bastante por esse Brasil afora , mas por um motivo ou outro, nunca consegui ir a Andrelândia , agora por meio das fotos consegui ter uma melhor idéia da região , e da cidade .
Valeu William !!! Você fez muito pela divulgação do cicloturismo , e das bonitas regiões de Minas , ao ler os relatos e ver as fotos acabei também viajando com vocês.
Abç.