quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

MINAS GERAIS - BRASILINHA - 120 KM



Bom aqui começará nosso relato sobre nossa viagem pelo sul de Minas Gerais. Saímos de Volta Redonda um pouco tarde devido a algumas intempéries, porem a viagem foi super tranqüila, o Bruno nós trouxe direitinho, apenas um quebra mola rampado pelo caminho. Chegando perto de nosso destino começamos a observar os estragos feitos pelas chuvas dos últimos dias na região, os rios Airuoca e Grande estão colocando água para fora de seus leitos. Essa enchente acabou nos trazendo uma dificuldade em nossa cidade, esta havendo falta de água, a capitação de água esta paralisada e sem previsão de retornar, talvez lá pelo sábado se o rio abaixar seu nível poderá voltar ao normal. Nosso maior desafio esta sendo tomar banho no primeiro dia tomamos numa cachoeira hehehee e a noite.
Depois de chegar e nós ambientar era hora de planejar o dia seguinte e por em pratica nossos objetivos.
1º passeio - Brasilinha distrito de Madre De Deus De Minas.
Saímos um pouco tarde, o dia estava bem agradável. Logo de inicio tivemos nosso primeiro e grande desafio. A enchente estava tomando conta da estrada, alguns trechos a profundidade chegava a quase 2 metros de altura. Bruno correu para sentar em um lugarzinho e se segurar bem firme, como se diz a musica "Se a canoa não virar olê olê olá" então todo cuidado é pouco, ainda mas que somos ótimos nadadores. Atravessado o rio era hora começar a pedalar realmente, alguns morros pelo caminho até chegarmos no ponto mais alto onde dali percorreríamos pela crista dos morros. Um visual incrível com belas paisagens. Pedalamos por entre plantações de milho e de eucaliptos que perdiam de vista devido à grande extensão. Depois de 30 Km chegamos em nosso primeiro destino, Madre de Deus de Minas onde fizemos um lanche e descansamos. Passado algum tempo seguimos nosso destino para a Brasilinha primeiramente por asfalto. Neste trecho o tempo fechou e uma chuva rápida acabou nos pegando, escondemos em baixo de uma arvore grossa até que a chuva diminuísse. Voltamos para estrada de terra dessa vez por entre plantações de milho, abóbora, inhame e outros vegetais. Nosso destino primeiro foi visitar a represa de Camargo onde há uma balsa que se faz a travessia para o outro lado da represa. Para chegar lá o Bruno já mostrou que é o rei do tombo caindo de forma boba, o menino ficou com a bermuda lenhada de barro nessa queda arrebentou o fio do ciclo computador, melhor que nada aconteceu com ele. Visitada a represa voltamos para ir em Brasilinha. Lugarzinho pequeno, onde passávamos acabávamos sendo o centro das atenções da molecada. Todos querendo saber de onde viemos e se eram corredores profissionais, sempre muito engraçado as abordagens. Depois de tomar uma coca-cola fomos buscar nosso caminho de volta para casa, dessa vez passaríamos pela localidade de Chaves e Arcângelo (Cajuru). Neste caminho o mostrou que não estava de brincadeira, mas uma vez ele nos mostrou quem é o rei do cai cai, ele foi me acompanhar em um caminho onde passei e mais uma vez escutei seus gruídos, era mais um tombo, este registrei. Levantado sacudiu o barro e seguimos nosso caminho. Em cajuru paramos para fazer um lanche, compramos dois biscoitos e começamos a comer porem depois quando estávamos na metade do pacote observamos que um dos pacotes estava vencido cerca de 7 meses vencidos, conseguimos trocar por outro. Já era noite e ainda tínhamos um bom trecho pela frente. Este se encontrava muito escorregadio e bem perigoso, o Bruno remou muitas vezes para conseguir superar os obstáculos. Em certo ponto estava eu pedalando pela borda da estrada onde acabei caindo também. Como o Bruno vinha logo atrás e conhecendo o menino como conheço minha maior preocupação era ele me atropelar cai então e rolei para o meio da estrada heheheee. Foi um belo tombo, felizmente nada aconteceu comigo, e Bruno não precisa se preocupar pois seu reinado é absoluto e ninguém muito menos eu irei tirá-lo de você. Chegamos em Piedade já eram 22h30min Hs. Este foi um mega passeio, novos lugares e boas fotos acabaram nos rendendo. Logo teremos mais passeios. Abraços.
Distancia percorrida: 120 Km
Participaram do passeio: Bruno e Wiliam



Cadê a estrada?????
Bruno segurando firme no barco.



















Igreja de Madre de Deus.


Na represa. Balsa.


Em Brasilinha




Bruno depois da queda.



Várias aranhas. Curioso.
No Cajuru.


7 comentários:

GINETAS BIKERS. disse...

una ruta impresinante ademas de los 120 klometros recorridos,las fotos son estupendas y vosotros sois geniales.saludos!!

BTT-ALBI disse...

Grande Voltinha essa ! boas fotos e relato da mesma muito bom.
Cuidado com as quedas porque podem correr mal !

É com grande angustia que por aqui vamos acompanhando pela TV a tragédia que por aí está acontecendo.
Ao mesmo tempo fico muito contente por saber que está tudo bem com vocês e restantes parentes.

1 abraÇo.

Carlos disse...

Bem... Esse caminho parecia um ribeiro! O que vale é que havia por perto aquela canoa!

Abraço!

Anônimo disse...

Tremenda esa ruta, tienen una geografia maravillosa gracias por compartilar, aunque estamos tan lejos estamos juntos a ustedes siempre hermanos, abrazos
De Rep. Dominicana, Gerome Emile.

Michel Schanuel Girardi disse...

Muito bacana esse trajeto. As enchentes são de assustar... Mas como vcs gostam de barro, estão no lugar certo :)

Abraço

PEDALADAS. disse...

Parabéns galera,
Excelentes fotos com um visual de dar inveja!!!
Show mesmo.

Marcelo
www.pedaladas.com.br

PEDALADAS. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.